Photo by Clint Patterson on Unsplash


O título deste texto é muito comprido, mas uma publicação que dá uma resposta definitiva e intemporal a este tema, merecia um tamanho de perder de vista 😀

Será uma dslr, ou uma mirrorless? Full frame ou sensor cropado? Canon, Nikon, Fujifilm, Sony, ou outra?

Qual o equipamento a escolher para conseguir tirar fotografias de sonho?

Se pretende investir num equipamento, está farto de percorrer informações sobre o tema e ainda não tomou uma decisão, leia isto.

Antes de mais, será melhor referir que não sou um fotógrafo profissional (nem pretendo ser), e para além de a fotografia ser só um hobby, considero o meu nível de conhecimentos na área ainda de iniciante.

Este artigo é uma opinião, não é patrocinado por nenhuma marca, e acima de tudo, eu não sou acérrimo defensor / seguidor / fã de nenhum modelo ou fabricante.

Para contextualizar: tive uma Canon quando era mais novo (uma reflex analógica, pois ainda sou do tempo dos dinossauros), já não a tenho há muito, mas o vício dos cliques ficou cá, adoro fotografar.

Nos últimos anos fazia-o exclusivamente com o smartphone e recentemente decidi subir de nível, fotografar com o smartphone é muito prático, mas falta a magia (e outras coisas, que serão tema para outro texto).

Quando decidi adquirir uma máquina fotográfica minimamente de jeito, e por ser simplesmente um entusiasta sem qualquer pretensão profissional, era ponto assente que não iria gastar uma fortuna, mas ao ler as opiniões na Internet sobre qual comprar, comecei a achar que isso talvez fosse impossível.

As perguntas que eu fazia eram exactamente as que coloquei no inicio desde texto, e quantos mais artigos de opinião lia e mais vídeos procurava, mais confuso ficava, e mais impossível parecia conseguir adquirir uma máquina fotográfica, respectivas objectivas e outros extras, sem ter de assaltar um banco (calma, só em sentido figurado).

Qual comprar? Qual a melhor marca? Por ter sido o orgulhoso dono da tal Canon analógica, bem como de uma Canon Powershot uns anos depois, tenho naturalmente mais familiaridade com a Canon, mas sempre sonhei ter uma Nikon, e nem sei bem explicar o motivo, pois embora a Nikon tenha uma qualidade inegável, na maioria das vezes os produtos da Nikon e da Canon são muito equivalentes, no entanto fica a nota desse meu desejo no processo.

Actualizando-me na matéria, percebi que ao longo dos anos a Sony ficou muito forte (ou talvez mesmo a melhor), e a Fujifilm também, além desta última ter modelos lindíssimos, também está com uma qualidade indiscutível.

E agora? Estava a confusão armada!

Passemos à solução, e sem entrar em explicações técnicas, pois essas conseguem encontrar sem dificuldade em imensos recantos da Internet, vamos pensar em conjunto onde podemos conseguir poupar dinheiro mantendo o minimo de qualidade.

Full frame ou crop?

Muito sinceramente, se nos mostrarem uma série de fotografias tiradas com máquinas full frame e outras com máquinas crop, sem nos dizerem a origem, possivelmente em mais de 90% não vamos perceber a diferença e identificar com uma certeza absoluta.

Se eu gostava de ter uma full frame? Gostava! Mas também gostava de ter um Mercedes ou um BMW e tenho um FIAT... e a verdade é que consigo deslocar-me com o mínimo de conforto e para os mesmos locais. O raciocínio na fotografia é o mesmo.

Dslr ou mirrorless?

As mirrorless são normalmente mais pequenas e leves, para além de que aparentam ser o futuro, ou seja, no momento em que escrevo este texto, tudo aponta para que num espaço de tempo mais ou menos curto as marcas deixem de fabricar dslr.

Isso teoriamente origina uma descida de preços nas dslr comparativamente às mirrorless. É um argumento válido a juntar ao facto de eu preferir (ainda) as dslr, aquela magia do espelho e do som mecânico que está associado... mexe comigo.

Então e se no futuro comprares uma mirrorless o que fazes às lentes actuais? Se a máquina actual for do fabricante x, e se no futuro comprar uma da mesma marca, é provável conseguir obter um adaptador para utilizar lentes dslr na mirrorless, isso não é um problema.

Ok, mas afinal de contas qual a melhor, com especificações recentes, e a um preço simpático?

Descobri que isso não existe!

Explico-me:

Se cometerem o mesmo erro que eu, e passarem o tempo livre a ler e a ver vídeos sobre equipamentos fotográficos, descobrem que todas elas têm algum ponto menos bom (comparativamente às concorrentes), descobrem também que a maioria dos autores dessas reviews dizem que as máquinas de entrada de gama são fraquinhas, e vocês acabam a imaginar que precisam de equipamentos brutalmente caros, não valendo a pena os equipamentos de entrada de gama porque não são suficientemente bons.

Básicamente, em lugar de aproveitarem para fotografar, andam a perder tempo com o sexo dos anjos.

Felizmente sou casado com uma besta (sim é verdade, a minha mulher é uma bestinha, mas é uma besta fofinha), e ao aperceber-se que eu andava há imenso tempo nestas coisas das comparações e a ver opiniões de terceiros na net, decidiu comprar-me uma ao acaso (escolheu a entrada de gama mais barata, ainda por cima estava em promoção), e fez-me uma surpresa.

Como bónus, ao fim de algum tempo a usar o equipamento e a evoluir pouco a pouco, ainda retirei da experiência uma moral da história, que é a resposta à questão que dá titulo a este texto.

Cá vai:

Se você é um iniciante, não tem aspirações profissionais, quer aprender e tirar umas fotos valentes só pelo gozo, quaisquer modelos de entrada de gama nas marcas mais conhecidas são recomendados.

Isso mesmo, leu bem o que eu escrevi.

Se fizer uma busca pelas especificações das máquinas fotográficas topo de gama vendidas há 15 anos atrás, percebe que as entrada de gama actuais têm especificações melhores... e no entanto os profissionais faziam trabalhos fotográficos espetaculares há 15 anos, certo?

Então?! Obviamente, as máquinas topo ou média gama actuais têm caracteristicas extraordinárias, e se quem me está a ler tiver dinheiro para isso, força, mas para um entusiasta principiante, um equipamento mais barato chega e sobra para tirar umas fotos excelentes e ir aprendendo, evoluindo, treinando e dominando a arte da fotografia.

Tenha em mente que a fotografia é maioritáriamente criatividade, paciência e composição, logo, de igual foma consegue captar uma fotografia banal com um equipamento acessível, ou com um equipamento que custe uma fortuna.

A boa noticia é que o mesmo se aplica a uma fotografia excelente.

Se está a começar, ou se é só um hobby por divertimento, honestamente penso que não vale a pena um investimento muito alto (nada mesmo).

Não hesite e boas fotos!

Informação para os mais curiosos: a surpresa descrita acima foi uma Canon EOS 2000D.

Chega e sobra.

p.s. se gostar de fotografia e quiser espreitar as fotos que vou tirando, convido-o a seguir-me no Instagram, ou aqui no Cliques & Letras (ver a categoria Fotografia). Sinta-se à vontade para deixar críticas, opiniões ou ideias de melhoria, pois ajuda-me a evoluir.