Photo by Sandro Schuh on Unsplash

Não gosto nada de futebol, mas aquilo movimenta dinheiro a rodos.

Dizem as más línguas que um presidente vive despreocupadamente e ainda por cima és o maior perante a malta para quem o futebol é uma religião, ofereces camarotes aos amigos, etc.

Assim, comecei por analisar a história dos clubes principais e chego à conclusão de que qualquer parvo chega a presidente, ou seja, tenho o perfil necessário!

Não contente com isso vou um passo mais além e vou criar um clube do zero, e sim, tenho tudo planeado para a grandiosidade que vamos alcançar, reparem:

Como moro na zona oeste de Portugal, o clube vai-se chamar Oeste United, o que dá o mote para o nome da claque (mas já lá vamos).

Como presidente fundador do Oeste United declaro dois pontos essenciais nos estatutos do clube:

1. Só existirão eleições para presidente quando eu me fartar de lá estar, ou caso morra, até lá o presidente sou eu e não se fala mais nisso;
2. Sempre que se vender um jogador, o presidente fundador recebe uma comissão.

Já relativamente à claque, terão o aval do clube e vão ter o nome de: Faroeste (aquilo são maioritariamente índios e cowboys que gostam de porrada e fumar umas coisas para rir, por isso o nome vem a calhar).

O presidente declara que a malta da claque paga uma quota muito mais baixa e os bilhetes para os jogos serão a preço simbólico (preço faroeste), mas em troca o presidente ganha comissões das transações de estupefacientes e também de pirotécnia.

Os mais espigadotes ainda servirão de guarda costas não oficiais aqui do fundador.

Em traços gerais é isto. Boa ideia certo?

Vou tratar de registar isto e abrir a possibilidade de se fazerem sócios fundadores, é aproveitar meus amigos 👀