Fomos atacados!


Todos os dias levo a Chica a passear no mínimo duas vezes, uma logo de manhã e outra antes de dormir.

O passeio da manhã normalmente é o mais longo (a maioria das vezes andamos 3 ou 4 km), mas sem abusar no tempo de passeio pois tenho de estar em casa a horas de começar a trabalhar (trabalho remotamente).

Ao fim de semana, andamos sempre mais um bocadinho para compensar (7 ou 8 km, por vezes mais, quando apetece), pois a Chica é um animal que gosta mesmo de andar muito! 

Normalmente, independentemente de ser fim de semana ou não, solto-a na maioria do tempo (quando já estamos longe da estrada e da povoação) e ela adora, claro.

Ora, um dos passatempos que gostamos é descobrir trilhos novos, ir explorar onde é que vai dar determinado caminho e se for bom, repetimos de outras vezes.

Como nestes casos de exploração não sei o que vou encontrar, mesmo andando longe de povoações coloco a trela na Chica e ainda bem(!)... neste fim de semana decidi entrar num caminho que não conhecia e bastante tempo depois o trilho passava junto de uma quinta, como o terreno era inclinado eu estava num plano superior, assim, mesmo a quinta sendo murada vejo que no referido espaço particular estava um Pastor Alemão, um Pit Bull e um outro cão de raça indefinida mas de porte grande.

Mal nos viram começaram a ladrar e a mostrar os dentes de forma ameaçadora, mas como a Chica habitualmente não liga nenhuma a essas provocações e segue caminho eu estava tranquilo da vida, como já aconteceu em inúmeras situações semelhantes, continuei o trilho.

Mas desta vez não iria ser uma situação tranquila, estávamos nós a passar ao lado da quinta descansados quando percebo que o Pit Bull foi ganhar balanço e... sim, conseguiu saltar o muro, vindo desvairado de raiva na nossa direcção.

Confesso: naqueles escassos instantes pensei o pior e meio aparvalhado (e assustado) com o que se avizinhava, instintivamente só gritei um valente e sem sentido "hei!" (como se resolvesse alguma coisa).

Neste ponto aconteceu aquilo que eu não imaginava possível, a Chica, uma cadela de 20 kg, super meiga, meia tontinha e até em alguns casos medrosa relativamente a coisas e/ou situações sem sentido, transformou-se.

Nos segundos que o Pit Bull demorou do muro até nós a Chica ficou de pêlo eriçado (até parecia um Leão da Rodésia), desata a rosnar e a mostrar os dentes de uma forma assustadora e quando o confronto se dá, nem sei bem o que aconteceu.

O meu braço que segurava a trela levou uns valentes puxões, a Chica e o outro cão deram para ali umas piruetas rápidas demais para eu conseguir perceber o que se passava, ouve-se um ganido agudo e o Pit Bull saí dali a correr direito ao muro com o rabo entre as pernas, falhou o salto (não conseguiu entrar para dentro da quinta novamente) e ficou ali, encostado ao muro a ganir com um olhar assustadiço e a mijar-se todo!

Ao mesmo tempo o Pastor Alemão aumentou o volume e tentava também ele passar para o lado de cá, não arrisquei, voltei para trás e afastei-me, fui por outro caminho.

A Chica está bem (não lhe encontrei nem uma arranhão), passado uns minutos já andava à solta a brincar e a dar ao rabo alegremente.

Moral da história: a Chica tem um Diabo da Tasmânia dentro dela (não me passava tal coisa pela cabeça) e por aquele caminho, nunca mais!

Mas foi um susto que não vos passa pela cabeça.

Textos avulso
16.10.22
0

Procurar no Cliques & Letras

Escreva-me

Comentários

Blogs Portugal